SÉ DE LISBOA

2_Se_Lisboa.jpg
6_Se_Lisboa[Descubra Lisboa].jpg

Créditos Fotográficos - Descubra Lisboa

7_Se_Lisboa [Descubra Lisboa].jpg

Créditos Fotográficos - Descubra Lisboa

 

 

Localização: Largo da Sé | Lisboa

Telefone: (+351) 218 866 752

 

A Sé de Lisboa ou Igreja de Santa Maria Maior, é a igreja mais antiga e importante da cidade.  Está classificada como Monumento Nacional desde 1910. 

 “Construída, ao que tudo indica, sobre a antiga mesquita muçulmana, o primeiro impulso edificador da Sé de Lisboa deu-se entre 1147, data da Reconquista da cidade, e os primeiros anos do século XIII, projecto em que se adoptou um esquema idêntico ao da Sé de Coimbra, com três naves, trifório sobre as naves laterais, transepto saliente e cabeceira tripartida, modelo essencialmente de raiz normanda, devido, com grande probabilidade, à origem do arquitecto Roberto.” (DGPC | Pesquisa Geral (patrimoniocultural.gov.pt)). O seu estilo é predominantemente Românico.

 

 

Nos séculos seguintes foi alvo de várias obras – construção da Capela Privada (funerária) de Bartolomeu de Joanes; o claustro mandado construir por D. Dinis (constitui um marco na evolução da arte gótica nacional), a cabeceira com deambulatório, mandada construir por D. Afonso IV (para panteão familiar). Esta obra constitui-se como a o mais importante capítulo gótico entre Alcobaça e a Batalha, sendo o único deambulatório catedralício gótico em Portugal.

 

O grande Terramoto de 1755 afectou a Sé, destruindo a Capela do Santíssimo, a torre sul e a decoração da capela-mor, incluindo os túmulos reais, e o claustro. A torre-lanterna ruiu parcialmente e destruiu parte da abóbada de pedra da nave, que foi reconstruída em madeira.

 

 

Outras obras se seguiram, mas foram suprimidas durante as duas campanhas de restauro ocorridas durante a primeira metade do século XX, cujo objectivo foi a "restituição" da atmosfera medieval a todo o conjunto.

“(...) sob o impulso de António do Couto Abreu, o restauro da Sé privilegiou as estruturas pré-existentes, dotando o edifício de um aspecto neo-românico evidente, cuja inauguração solene foi efectuada em 1940, num dos momentos de maior celebração do Estado Novo.” (DGPC | Pesquisa Geral (patrimoniocultural.gov.pt)).

 

Tal como outros edificios religiosos medievais a Sé de Lisboa assemelha-se a uma fortaleza. A fachada ainda conserva seu estilo românico do século XII, encimada por uma magnífica rosácea central.

Uma vez no seu interior, de planta central, encontramos um templo que conta com alguns elementos decorativos, como a pia batismal onde Santo António de Lisboa foi batizado, alguns sarcófagos do século XIV e uma belíssima capela gótica do século XIV.

 

 

Na sacristia (fica na parte superior do edifício), é possível visitar o Tesouro da Sé. A exposição conta com  quatro salas onde é possível ver diferentes peças religiosas: como trajes eclisiásticos, joias (variada colecção de pratas, como uma cruz do século XVI, do período da União Ibérica), estatuária religiosa, manuscritos com iluminuras e relíquias associadas a São Vicente de Fora.

Destaque ainda para a Sala do Capítulo que data do século XVIII.

 

Numa passagem por Lisboa a Sé é de visita obrigatória.